,

Esportes | São Paulo

Segunda-feira, 05 de Novembro de 2018

Análise: atuações de Luan e Helinho sugerem um caminho para Aguirre seguir

Se resultado não foi o esperado, ao menos garotos da base chamam atenção

O São Paulo sofreu muito contra o Flamengo neste domingo no Morumbi – e pode agradecer a dois garotos formados em suas categorias de base pelo ponto conquistado, que ajuda a manter o time na briga por uma vaga na Libertadores: Luan e Helinho. No dia em que Nenê "desertou", os garotos foram protagonistas.

Luan teve mais uma atuação que justificou sua condição de titular aos 19 anos, numa posição para a qual o técnico Diego Aguirre conta com opções mais experientes e caras, como Jucilei (de quem ele tomou a posição) e Hudson (a quem ele substituiu neste domingo).

Helinho entrou no intervalo, e com apenas cinco minutos disputados como profissional cravou um golaço, de fora da área, no ângulo do goleiro César. O meia oscilou depois de ter feito o gol e tomou decisões erradas – normal para quem tem 18 anos. Mas mostrou que pode contribuir com o time de Aguirre.

Ao analisar o resultado, o técnico tricolor disse que o empate foi "justo" pelo que fizeram as duas equipes. Os números da partida sugerem que o Flamengo foi melhor:

Mais posse de bola (54% a 46%)
Mais passes trocados (327 a 138)
Mais situações claras de gol (8 a 3)

Depois de ter terminado o primeiro turno do Campeonato Brasileiro na liderança, o São Paulo travou, tornou-se um time previsível, pouco inspirado. Com exceção de Diego Souza – novamente letal contra o Flamengo – alguns de seus principais investimentos para esta temporada (Anderson Martins, Jucilei, Nenê) acabaram perdendo espaço no time.

Parece ficar mais claro a cada dia que a solução talvez esteja nas categorias de base. Embora Aguirre ainda demonstre algumas preocupações em lançar mais garotos no time:

– Todos gostamos de ver esses jogadores aparecerem e se tornarem realidade. O Luan é realidade. Liziero também. O Helinho vai continuar ganhando minutos, mas não podemos de um momento para o outro dar a responsabilidade a esses meninos de coisas tão importantes. Vamos com calma.

Quem acompanha de perto o cotidiano do São Paulo é só elogios ao meia-atacante Anthony, também de 18 anos, com quem o clube acaba de renovar até 2023.

O São Paulo tem uma sequência brutal de jogos – Corinthians, Grêmio e Cruzeiro. Ninguém exige que Aguirre dê a esses jovens a missão de recuperar os pontos que o São Paulo perdeu no segundo turno do Brasileirão, mas o time tem pouco a perder se der mais minutos a eles.

Na tarde deste domingo, o São Paulo foi salvo por um golaço de um moleque de 18 anos enquanto um veterano de 37 foi embora bravo por não ter entrado em campo. Talvez seja só coincidência.
 


Globo Esportes

COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário