,

Notícias da Região | Deputado Federal

Sexta-feira, 22 de Novembro de 2019

Foz terá uma Escola Cívico-Militar já para o próximo ano, diz Vermelho

Serão 54 escolas desse gênero no país; 12 estão na região Sul e quatro no Paraná; a de Foz foi garantida depois da audiência de Vermelho com o ministro Weintraub

O deputado Vermelho durante a audiência com o ministro da Educação, Abraham Weintraub.
(vermelho e weintraub)

O deputado Vermelho anunciou nesta quinta (21) que Foz do Iguaçu terá uma Escola Cívico-Militar. A boa notícia foi transmitida pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub. “Pedimos ao ministro para implantar esse modelo de escola em Foz, com uma gestão escolar compartilhada entre educadores e militares”, comentou Vermelho.

O deputado explicou que essa proposta é diferente das escolas militares mantidas pelas Forças Armadas. No modelo anunciado hoje, as secretarias estaduais continuarão responsáveis pelos currículos escolares. Aos militares caberá a atuação como monitores na gestão educacional.

A região Sul do país terá 12 escolas, sendo quatro no Paraná. Por enquanto a única escola garantida é a de Foz do Iguaçu. As demais, serão anunciadas em conjunto com o Governo do Estado. “Brigamos muito pela implantação dessa escola em nossa cidade e fomos atendidos pelo ministro da Educação”, frisou Vermelho.

Cada escola receberá R$ 1 milhão do governo, o que totaliza R$ 54 milhões em recursos. Parte dos recursos (R$28 milhões) terá como destino o Ministério da Defesa, a quem caberá arcar com os pagamentos dos militares da reserva das Forças Armadas. O restante (R$ 26 milhões) vão para o governo local, para serem aplicados nas infraestruturas das unidades, materiais escolares e reformas.

Critérios
Ao todo, o MEC autorizou 54 escolas no país dentro do Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares para 2020. Destas, 38 são escolas estaduais e 16 municipais, localizadas em 23 estados e no Distrito Federal. “A escolha das escolas levou em conta a localidade, a partir de uma equação com variáveis com base em critério absolutamente técnico”, comentou o ministro.

De acordo o ministrou Weintraub cerca de 1.000 militares, tanto da reserva como da ativa, vão participar do projeto-piloto, atuando na gestão educacional das instituições. “Essas escolas começam a funcionar já na volta às aulas. É um modelo que a gente acredita que vai ter amplo sucesso no Brasil. Nossa meta é ambiciosa e vamos ajustar esse método”, acrescentou Weintraub.

Disciplina será rigorosa
A questão da disciplina foi destacada pelo subsecretário de Fomento às Escolas Cívico-Militares, coronel Aroldo Ribeiro Cursino, como forma de melhor aproveitar o tempo dedicado às aulas. “Se você verificar, há pesquisas que apontam que cerca de 30% do tempo em sala de aula não é utilizado por falta de silêncio ou controle da turma. Então, a disciplina será uma ferramenta, mas não será a essência principal. Ela é um meio. O principal objetivo é o aluno e a gestão, para que possamos formar de maneira integral esse jovem”, disse o subsecretário.

“O que se espera é um comportamento que preze um melhor tratamento do professor, dos colegas, e de respeito aos símbolos nacionais. Na nossa época, tínhamos [a disciplina de] Educação Moral e Cívica. A gente aprendia esses respeitos. A gente assiste filmes de outros países e vê respeito da população aos símbolos nacionais. Uma das coisas que a escola cívico-militar tenta ressuscitar e trazer à tona é essa questão”, complementou o secretário de Educação Básica do MEC, Jânio Carlos Macedo. (EBC).

Tripé educacional
A escola cívico-militar é um modelo desenvolvido para melhorar a educação básica do país. Para isso, será construído um ambiente de parcerias e de maior vínculo entre gestores, professores, militares, estudantes e até mesmo pais e responsáveis.

O modelo de excelência vai abranger as áreas:
§  didático-pedagógica: com atividades de supervisão escolar e
psicopedagogia para melhorar o processo de ensino-aprendizagem preservando as atribuições exclusivas dos docentes;

§  educacional: pretende fortalecer os valores humanos, éticos e morais bem como incentivar a formação integral como cidadão e promover a sensação de pertencimento no ambiente escolar;

§  administrativa: para aprimorar a infraestrutura e a organização da
escola para aprimorar a utilização de recursos disponíveis na unidade escolar. 

Fonte: MEC
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O deputado Vermelho durante a audiência com o ministro da Educação, Abraham Weintraub. (vermelho e weintraub) As novas escolas terão disciplina para garantir respeito entre alunos e professores (escola cívico-militar) O ministro Weintraub, ao lado de Macedo e Cursino fizeram o anúncio oficial (weintraub, Macedo e cursinho)

COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário