,

Nacional e Internacional | Mundo

Quarta-feira, 15 de Maio de 2019

Oferta global de petróleo recuou 300 mil barris por dia em abril, diz AIE

A oferta global de petróleo recuou ao longo de abril, diante da queda na produção do Irã, atingido por sanções americanas, e pela oferta menor de países de for...

A oferta global de petróleo recuou ao longo de abril, diante da queda na produção do Irã, atingido por sanções americanas, e pela oferta menor de países de fora da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), o que impulsionou os preços para uma máxima em cinco meses, afirma a Agência Internacional de Energia (AIE) em relatório nesta quarta-feira. Em seu levantamento mensal, a AIE diz que a oferta total de petróleo recuou 300 mil barris por dia (bpd), para 99,3 milhões de bpd.

O patamar fica cerca de 3 milhões de bpd abaixo das máximas de novembro de 2018, mas representa uma alta de 775 mil bpd na comparação anual, diz a agência.

A AIE aponta para sinais mistos do mercado durante o mês de abril, "com a geopolítica e problemas no setor confundindo a perspectiva para a oferta". Também cita temores geopolíticos persistentes na Líbia, no Irã e na Venezuela, bem como a contaminação de petróleo russo que passa pelo oleoduto Druzhba.

Países de fora da Opep foram responsáveis pela maior parte da queda na produção no mês passado, com Canadá, Casaquistão e Azerbaijão passando por manutenções. O caso do Canadá foi em parte sazonal, enquanto o fechamento de campos no Casaquistão e no Azerbaijão estava em linha com o esperado no acordo de cortes da Opep e seus aliados. Essas reduções foram em parte mitigadas pela crescente produção nos EUA, no Brasil e na China.

O Irã foi outro contribuinte significativo para a queda na produção, com sua oferta em queda de 130 mil bpd em abril. A AIE diz que a produção do país em maio pode recuar a níveis não vistos desde a guerra com o Iraque, nos anos 1980. Outros produtores, porém, podem substituir os barris iranianos. O recuo do Irã foi mais que compensado por Líbia, Nigéria e Iraque, que contribuíram para uma alta em geral na produção do cartel. A Opep enfrenta dificuldades para fazer valer o acordo de cortar a produção com esses três países. A produção de petróleo da Opep avançou 60 mil bpd em abril, segundo a agência sediada em Paris.

A AIE ainda reduziu sua projeção para crescimento na demanda por petróleo em 2019 em 90 mil bpd, para 1,3 milhão de bpd. A entidade aponta para dados abaixo do esperado em Brasil, China, Japão, Coreia do Sul e Nigéria, entre outros países, mas espera que esse crescimento menor da demanda seja temporário.

O relatório diz ainda que os ataques a navios-tanque próximos do Estreito de Ormuz nos últimos dias geram uma dimensão extra para preocupações geopolíticas. A AIE afirma não esperar, contudo, qualquer problema para a oferta.

A AIE informou também que os estoques de petróleo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) recuaram 25,8 milhões de barris em abril.

Fonte: Dow Jones Newswires. 
 

COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário